Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Inês Bonfim Madeira

Apaixonada por livros, música e frases que mudam vidas. © Inês Bonfim Madeira Textos e Imagens

Inês Bonfim Madeira

Apaixonada por livros, música e frases que mudam vidas. © Inês Bonfim Madeira Textos e Imagens

Sorte, corações e sorrisos

img2.jpg

 

Acontecia sem aviso.

Estávamos a comer, passeávamos na rua, regressávamos a casa depois de um jantar com amigos e olhava para ti. O meu coração fazia aquele estranho saltar de batimentos, mais cliché que existe, mas que nem por isso deixava de me sobressaltar. Estremecia, agitava-se e eu colocava uma mão sobre o peito como se o pudesse tranquilizar.

Ficava a observar-te, o rosto tão conhecido, igual e diferente depois destes anos, e sorria como nos primeiros dias. Completamente apaixonada. Perdida em cada gesto. Familiarizada com cada toque. Agradecida por cada momento.

Até pelos maus. Foram esses que permitiram que nos tornássemos o que somos hoje. Não trocaria nenhum deles, porque sempre te tive a meu lado, o que os tornou um pouco mais fáceis de superar.

Tu continuavas distraído, inconsciente do que eu pensava, até cruzares o olhar com o meu e sorrires. Aí eu sabia que o teu coração ainda estremecia e que tu o apaziguavas como eu. Aí eu já não tinha de te dizer nada que tu não estivesses a pensar também. Aí eu não precisava de te perguntar nada, nem prometer algo, pois conhecia as respostas e promessas que viajavam silenciosas entre nós.

Davas-me a mão e continuavas a falar e o meu coração voltava a um ritmo mais normal. Ou beijavas-me e dizias qualquer coisa que me fazia rir e quase que te dizia. Mas preferia sempre perder-me em ti do que perder-me em palavras. E como não era difícil, permitia que o momento passasse. Ainda que, mesmo passados tantos anos, por vezes não soubesse o que fazer com a felicidade de te ter. 

 

De Inês Bonfim Madeira

30 comentários

Comentar post

Pág. 1/2