Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Inês Bonfim Madeira

Apaixonada por livros, música e frases que mudam vidas. © Inês Bonfim Madeira Textos e Imagens

Inês Bonfim Madeira

Apaixonada por livros, música e frases que mudam vidas. © Inês Bonfim Madeira Textos e Imagens

Não era amor, era loucura

img17.jpg

Tu tinhas esse efeito sobre mim.

Eu, habitualmente pacata, tranquila, calma, conseguia ficar agitada, perturbada, nervosa com a tua presença.

Não era preciso muito.

Um toque, um olhar, uma palavra e entrávamos naquela espiral que ascendia, descia e nos atirava tão depressa para os braços um do outro, como o mais afastados que aguentávamos antes de nos incendiarmos de novo naquela explosão que ia para além da razão.

A lógica desfazia-se em cinzas que ardiam por dias, horas, anos na lembrança inegável de um grande amor que tinha a força de um fogo eterno.

Tão depressa nos beijávamos como conseguíamos estar a gritar, a culpar o outro, num assomo de algo indefinível, até um de nós ceder num acesso de amor, desgosto e raiva que apagava tudo o resto.

Não podíamos continuar assim. Tínhamos de mudar. Mas nenhum de nós dava o primeiro passo. E mesmo que um o desse, o outro não tardaria a puxá-lo para trás.

Aquele limbo era a única existência que conhecíamos.

A única que queríamos conhecer.

Era amor? Não sei. Podia ser.

 

De Inês Bonfim Madeira

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.